domingo, novembro 05, 2006

A barbárie para combater a barbárie

Saddam Hussein é condenado à morte por enforcamento.

Quem não tem pecados...

Acabam de decretar a canonização do ex-ditador iraquiano.

(Foto: Folha Online)

4 comentários:

Silvino Évora disse...

Há pecados e pecados, Sérgio. Permita-me usar o pleonasmo para dizer que há uns pecados que são mais pecaminosos que outros.
Mas, daí à pena de morte, já a conversa é outra. Faz-me muita confusão ver os Estados Unidos que estão sempre na vanguarda da democracia e dos direitos humanos a aplaudirem a morte. Não dava para entender, se por detrás desta cínica política de Bush não morasse práticas arbitrárias em várias prisões do mundo. Enfim, é o mundo possível. Eu continuo a defender a vida. Como sempre defendi.
Abraços
Silvino Évora

The human who sold the world disse...

Vc leu minha mente, cara.

Sergio Denicoli disse...

Morte por enforcamento é completamente fora do nosso tempo. É o extremismo aplicado em um país árabe, por intermédio e incentivo de uma nação que se diz muito moderna e democrática, mas que a cada dia mostra que é autoritária e atrasada em termos de respeito ao ser humano e às liberdades.

odete almerinda disse...

Contando ainda com o facto de a pena de morte ainda existir em 38 estados desse país tão civilizado e que esse autista que agora naõ só manda nos estados unidos como também pensa que manda no resto do mundo foi governador do texas...um dos estados onde a pena capital é mais frequente...
o conceito de civilização torna-se muito ambíguo...