sexta-feira, maio 19, 2006

GUERRA DOS MUNDOS: UMA ANÁLISE SOBRE OS ACONTECIMENTOS EM SÃO PAULO

O jornalista Sérgio Corrêa Vaz escreve sobre os ataques do PCC em São Paulo, sob um uma visão de quem vivenciou os acontecimentos. Foram dias de terror. Ocorreram "mais de 250 ataques à polícia e suas bases, ao menos 80 ônibus incendiados ou atingidos, mais de 110 mortos e 74 rebeliões em 105 presídios." A íntegra da análise está publicada no Intermezzo. A foto é do UOL. Editei abaixo algumas partes do texto:

"As equipes de reportagem externas dos veículos - muito enxutas - obviamente não tiveram condições de cobrir in loco a multiplicidade dispersa de tantos 'eventos'. Instaurou-se uma espécie de síndrome de pânico coletivo, que se desenrolou em um crescendo ao longo do dia. "

"Logo na manhã de segunda, com as dezenas de ônibus incendiados e as empresas de transporte suspendendo os serviços, o que dificultou a locomoção de alguns milhões. A partir do começo da tarde, comércio, serviços e escritórios (mesmo em edifícios fechados) começaram a dispensar funcionários com alertas especiais de cuidado. Às 16 horas, centenas de escritórios encerravam atividades. Isso teria se acelerado a partir do fechamento do comércio em algumas ruas críticas da cidade."

"Também escutei (no auge dos acontecimentos) 'informações' sobre o estudante morto no ou do Mackenzie. Tal rumor (junto com um suposto ataque não confirmado à FAAP) deve ter contribuído para a decisão de universidades de interromper seu funcionamento."

"Adicionalmente, houve uma sobrecarga no sistema telefônico de celulares, o que inviabilizou muitas ligações."

"Roberto Datena, na TV Bandeirantes, num arroubo retórico, chegou a comparar os acontecimentos da segunda-feira negra, dia 16, com o 11 de setembro em Nova York."

"Também repare-se outro detalhe importante: delegados, policiais e advogados criminalistas assumiram a linha de frente de critica à situação nos programas de televisao. (...) Perdeu-se completamente o espaço do contraditório."

Sérgio Corrêa Vaz diz ainda que o terror causou um pânico na multidão e se alastrou em efeito cascata pela cidade, que tem 10,5 milhões de habitantes. Ele complementa:

"Os fatos base foram, entretanto, muito reais. Distante e diverso, como chegou a ser comparado, com a comoção causada na população de Nova York com o genial programa radiofônico de Orson Welles, 'Guerra dos Mundos', às vésperas do Dia Das Bruxas no ano de 1938, sobre suposta invasão marciana."

3 comentários:

Sérgio Corrêa Vaz disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sérgio Corrêa Vaz disse...

Sérgio Denicoli,
Soube que as notícias em São Paulo causaram muita preocupação em Portugal.
Thanx pela inserção de meu post. Espero ter contribuído para uma visão (que é clara, muito pessoal) sobre os fatos (aliás, muito graves).
Vivo nesta cidade há três décadas e nunca tinha presenciado algo nesta proporção.
E o debate nos 'comments' do Intermezzo continua:
http://intermezzo-weblog.blogspot.com/2006/05/so-paulo-165-nem-guerra-dos-mundos-nem.html#comments

abraços

Sergio Denicoli disse...

Eu que agradeço pela sua excelente análise. Aliás seus posts no Intermezzo são sempre muito interessantes e pertinentes. Considero o Intermezzo um dos melhores blogs brasileiros voltados para a comunicação. Leio sempre.
Abraço!