domingo, fevereiro 11, 2007

TV Record: uma cruzada dentro e fora das fronteiras brasileiras

No Brasil, a TV Record ganha pontos na batalha contra a TV Globo. Os telespectadores de Portugal e Cabo Verde podem esquentar a briga

A TV Globo, líder no segmento de novelas, vê bater à porta uma forte concorrente. Em entrevista à Folha de S.Paulo (somente para assinantes), publicada neste domingo, o autor da novela “Vidas Opostas” que desbancou a Globo duas vezes no Ibope, Marcílio Moraes, diz que a emissora de Edir Macedo ganha pontos por ousar. Ex- Globo, o autor conta que em seu antigo emprego não havia espaço para isso.

“Vidas Opostas” ousa ao mostrar uma realidade fictícia mais próxima do cotidiano dos brasileiros, ou ao menos mais próxima do que se vê todos os dias nos telejornais: a violência urbana.

O estilo “Cidade de Deus” parece agradar ao público brasileiro. A emissora da Igreja Universal do Reino (também) de Deus tenta agora ganhar “adeptos” para além das fronteiras do país, com a entrada em Portugal e em Cabo Verde.

4 comentários:

Ton disse...

E o mais engraçado é que isso não é de hoje. Já faz um tempo que a Record vem brigando - e muito bem - pelo espaço nobre que ocupa as novelas globais.

Brigar com uma gigante como a Rede Globo é fácil? Claro que não. Mas a Record, ironicamente, está mostranto aos telespectadores a versão moderna de Golias e David.

Eu sou um contra-rede-record assumido. Não acho nada de interessante nessa rede. Mas sou o primeiro a defender a democratização da tv. A Globo já faturou muito em cima da gente, está na hr de ter algum diferencial. E a única capaz é a Record. Tirando a Globo e a Record, o SBT faliu, não tem nem programação. Demonstra uma falta de respeito enorme colocando e tirando programas quando o patrão Silvio bem entender. Podia ser um dos grandes comunicadores. Mas até quando ele vai insistir com o Chaves?! O SBT necessita da presença física do patrão. E a RedeTV! praticamente não existe. Alguém ouve falar dela? E a Band virou café com leite.

A Record tem dinheiro. E até certo ponto muita ousadia. Quer mais ousadia do que o fato da Record assumir que quer ter exclusividade absoluta nos jogos ca Copa ?! Excelente essa atitude. Mas creio que no final a Globo deva ter algumas centenas de milhões para desbancar. Infelizmente, neh?

Ps. como o foco eh comunicação, vale soh dizer que eh Folha de S.Paulo .. com o "S" abreviado e junto do "Paulo". Assimo como O Estadado de S. Paulo. Só que nesse caso o "S" eh abreviado e separado da palavra "Paulo".

Execelente blog! Continue e conte com mais um leitor a partir de agora!

Sergio Denicoli disse...

Oi Ton,

Tenho muitas dúvidas se a Record é mesmo uma opção melhor que a Globo. Essa história de misturar comunicação com religião é um jogo de poder muito abrangente. Já imaginou se o bispo Edir Macedo um dia alcançar o poder da família Marinho?
Quanto às novelas da Record, acho que são muito violentas e propagam, visando a audiência, uma violência gratuita e uma realidade cruel, sem a qualidade técnica da Globo, que transformou nossas telenovelas e referência mundial de televisão.
Quanto ao nome da Folha de S.Paulo, agredecemos o toque. A grafia agora está correta.

Abraço

leticia goncalves disse...

Ois,

Obrigada Ton e Sergio pela correção lá da Folha de S. Paulo.

Quanto à Record, acho positivo o crescimento de outras redes, no entanto é primordial a disseminação de informações sobre o caráter de todas elas. Assim o telespectador pode julgar, com mais parâmetros, o que é bom para ele e para a sociedade.

Essa união TV-Religião, por exemplo, é um tema a ser discutido e regado a muita informação.

Abraços.

Ton disse...

hehe ... isso é verdade ... o poder do capital evangélico no Brasil - e em outros países - é muito grande. A IURD comprou uma rede de tv, comrpu rádio e acho que ainda mantêm impressos. Os evangélicos compraram horários nobres na RedeTV! e na Band.

Mas uma coisa nos deixa com esperanças. A Record, quando estava afundanda em religião, teve um prejuizo enorme. Um tempo depois, percebeu que se quer sobreviver, necessita ser uma rede comercial. Ai teve toda a revolução.

Esperemos a tv digital, que promete muitas coisas.

Abraços!