quarta-feira, abril 05, 2006

OBSERVATÓRIO DA IMPRENSA: GLOBO X RECORD





"Desde o sábado (1º/4), a Rede Globo não possui mais um canal em Portugal. A emissora mantinha no país o GNT, da TV Cabo – empresa que detém 85% do mercado de televisão paga portuguesa. Mas por questões ainda nebulosas, o espaço pertencente à família Marinho foi substituído pela TV Record Internacional."

Este é um trecho do artigo que escrevi para o Observatório da Imprensa sobre a substituição da Globo pela Record em Portugal. Leia aqui a íntegra.

3 comentários:

Gustavo Lucas* disse...

Há obscuridade de tal fato demonstra que há algo de muito suspeito nessa negociata. Você acredita que eu tenho uma teoria de que o SBT é da Globo. Nada é por acaso nesse mundo midiático. Não sobra nada e não há esperança a curto prazo para o jornalismo. Quem crê na verdade não pode se abster de ter esperança.

*Poeta, escritor e jornalista em Brasília

Sergio Denicoli disse...

Vc tem teorias bem radicais rs. Acredito que a Internet é uma boa ferramente para o jornalismo. Na web qualquer um pode publicar notícias gratuitamente. Os blogs noticiosos são um bom exemplo disso. Já tem o seu? Se tiver mande o endereço. Abç

Alan Romero disse...

Simplesmente lamentável a atitude da TV Cabo, que não levou em consideração a preferência dos telespectadores. Com todos os defeitos, a Globo está muitos furos acima da Record. Esta - sejamos honestos - não se envergonha de clonar descaradamente os programas da Globo. A programação da Record é xôxa, entupida por aquela chatice das "curiosidades" que contém disparates que fariam chumbar qualquer estudante de comunicação (já viram aquele sobre o Elevador de Santa Justa? Santa Inguinorança...). E depois da meia noite, tome sessão IURD. Ninguém merece!...
Nâo se conhecem ainda os contornos do negócio, mas está na cara que a Record pagou para varrer o GNT do caminho, e ocupar o canal 12. Recorde-se que os dois canais coexistiram na mesma grelha, sendo que o GNT era o sexto em audiência, e a Record sabe-se lá em que posição estava, mas certamente era das últimas. Essa é que é a "estratégia" da Record: pagar para eliminar a concorrência! Isso é lícito? Isso não fere os princípios da concorrência? Onde está a Alta Autoridade?
Como todo mundo já imaginava, a TV Cabo pediu um valor "impagável" ao GNT, de propósito, para inviabilizar o negócio mesmo. Por trás, é claro, estava o dinheiro dos bispos da IURD, cobrindo a parada. Dinheiro arrancado aos pobres-coitados dos fiéis e que costuma viajar em malas, como todo mundo viu recentemente.
Por mim já decidi, vou "demitir" a TV Cabo e partir para a concorrência. Isso lá é forma de tratar a clientela?
Estou fora!