sexta-feira, outubro 21, 2005

MENSALINHO E O GOVERNADOR DO ES

A cobertura dos jornais capixabas sobre o mensalinho na Assembléia Legislativa está confusa, mal explicada e mal apurada. As reportagens estão frias e distantes. São lamentáveis as afirmações do governador sobre sua base de apoio ser constituída em peso pelos envolvidos no esquemão. É preciso saber se há participação desses deputados e ex-deputados na administração do estado, se eles indicaram cargos nas empresas públicas e se existe uma moeda de troca que garante o apoio deles ao que Paulo Hartung denominou "choque ético". Agora que está no PMDB, Hartung deveria dar a receita à colega de partido e governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Garotinho, para que ela faça um "choque ético" carioca e estabeleça uma base de apoio com os traficantes. (Foto: Causafilosófica)

2 comentários:

Penha Saviatto disse...

Oportuna sua análise. Na verdade as pessoas/políticos (será que políticos são pessoas?) conseguem enganar até certo ponto. depois a máscara cai...vira um carnaval. Dindin pra cá...dindin pra lá..
Coisas de um país que gasta uma fortuna fazendo um referendo sobre armas, quando se os políticos deixassem de ser corruptos não haveria tanta violência. haveria sim..dinheiro para educação..saúde e informação. Se Deus é brasileiro esta turma de "come e dorme" vai dançar.

Sergio Denicoli disse...

Uma coisa é votar em um político aparentemente honesto e depois se decepcionar, outra é votar em corruptos sabendo que são corruptos. Está nas mãos da população o julgamento.