terça-feira, fevereiro 26, 2008

ComUM impresso: nasce um jornal feito por estudantes, originado do meio online

Republico aqui informações postadas ontem no blog do Mediascópio (do qual também faço parte), a respeito do lançamento da versão impressa do jornal ComUM, que é feito de forma independente pelos estudantes de comunicação da Universidade do Minho. Deixo aqui meus parabéns pela excelente iniciativa que, como já disse anteriormente, é um grande exemplo a ser seguido.


"Hoje foi um dia importante para os estudantes de Ciências da Comunicação (licenciatura e mestrado) da Universidade do Minho. Puseram cá fora o nº 1 do ComUM, um jornal impresso de distribuição gratuita, dirigido por Rui Passos Rocha, pago com publicidade angariada por membros de uma vasta equipa que, como é sabido, alimenta também um projecto digital, o ComUM online.Há duas matérias que fazem os principais títulos de capa e que poderão dar que falar: um departamento da UM acusado por um docente de o ter forçado a silenciar um blogue humorístico e, por outro lado, uma reportagem junto de universitárias que se prostituem para atenuar dificuldades financeiras."

4 comentários:

The human who sold the world disse...

Nossa!!!! Que notícia boa!!! Vc sabe me dizer se há cineclubes na periferia portuguesa? Ou não há periferia portuguesa?

Sergio Denicoli disse...

Olá!
Em Portugal as periferias são as pequenas cidades e as aldeias, que são os vilarejos rurais. Nas grandes cidades há alguns bairros periféricos, mas não com a dimensão nem em forma de caos, como vemos no Brasil. Há algumas iniciativas culturais bem interessantes, mas não tenho conhecimento se existem cineclubes. Vou procurar saber.

Abç

Carlos Daniel Rego disse...

Existe um bom cineclube em Joane, concelho de Vila Nova de Famalicão.
Não sei bem se Joane pode ser considerada uma zona periférica de Braga, Porto ou Famalicão, contudo fica a sugestão.

http://www.cineclubejoane.org/

The human who sold the world disse...

Obrigada pela dica, Carlos! E fico no aguardo, Sérgio.