quarta-feira, julho 13, 2005

LULA EUFÓRICO III

Já na última segunda-feira, num encontro no palácio, Lula saiu melhor na foto ao não compartilhar em público com a opinião de uma claque petista e sindical que acusava a imprensa, a direita e o "império estrangeiro" de conspirarem contra o governo. Mas foi pouco elegante ao comparar o drama político com a angústia de Pelé, que sofreu com o envolvimento do filho Edinho com o tráfico de drogas.
A própria oposição se encarregou de dizer que Lula não é Collor nem Jango. O problema é que, na estratégia de mostrar que é diferente dos antecessores, Lula dá poucos sinais concretos que pretende iniciar as mudanças prometidas no início do mandato. Ele só conseguiu até agora se transformar numa cópia grosseira dele mesmo naquela época de festa. É como se fosse aquele cara que continua animado e querendo dançar mesmo depois que acaba o som da festa, e sai pela rua "ligadão", disposto a comprar mais bebida.

Um comentário:

Anônimo disse...

O Rei está nú...